Vacinação para os Profissionais de Segurança não é luxo, é sim obrigação


Em 21 de março de 2021 – Redação

Vacinação de H1N1

Nos últimos dias a população do Distrito Federal, viu e ouviu debates, até mesmo calorosos de parlamentares e ex parlamentares, à respeito da vacinação aos profissionais de segurança pública na capital. Muito devido as mortes de policiais e a grande contaminação destes profissionais que desde o início da pandemia não pararam um dia sequer no combate à criminalidade e até mesmo nos incautos desobedientes das regras de restrições no combate ao Covid-19.

O deputados distritais Hermeto e Rafael Prudente, discursaram cobrando a vacinação esta semana, outro que fez cobranças foi o ex deputado Fraga, chegando a confundir que o governador do Distrito Federal tinha vacinado os presidiários em detrimento aos policiais, o que não era verdade, mesmo que no Plano Nacional de Vacinação eles estejam à frente para a vacinação. Ontem rolou nas redes sociais um áudio atribuído ao ex deputado Fraga uma cobrança feita por ele ao presidente Jair Bolsonaro que solicitava que o presidente anunciasse uma medida para as forças de segurança, haja vista as mortes destes, pedindo para mudar o Plano Nacional e que vacinasse os profissionais da linha de frente e que Bolsonaro largasse na frente neste caso. Logo em seguida uma resposta do Presidente uma resposta do presidente Bolsonaro que dizia que já mandou fazer mais não podendo impor pelas pessoas tuteladas pelo Estado. Abaixo segue os áudios:

áudio do Fraga
Áudio do Presidente Bolsonaro

Blog do Candango, fez uma pesquisa rápida e encontrou o preço médio de cada vacina em R$ 58,20 (cinquenta e oito reais e vinte centavos), se analisarmos então os profissionais que estão na ativa, sim pessoal, os profissionais das corporações que se encontram na Reserva Remunerada e aposentados também merecem ser vacinados assim como toda a população, mais não estão na chamada linha de frente da pandemia e podem esperar um pouco mais ainda, agora os da ativa precisam e devem ser vacinados o mais rápido possível. Então se na Polícia Militar temos quase dez mil homens e mulheres, na Polícia Civil quase cinco mil e no Corpo de Bombeiros também quase cinco mil, temos na ativa quase 20 mil homens e mulheres.

Pois então, se a vacinação são em sua maioria duas doses para cada profissional seriam gastos R$ 112,40 (cento e doze reais e quarenta centavos), multiplicados por 20 mil, teríamos um gasto de um pouco mais de 2 milhões de reais para salvar estes valorosos profissionais, desculpa! Preço irrisório para os cofres públicos por tudo que a Polícia e o Corpo de Bombeiros Militares, bem como a Polícia Civil vem fazendo durante esta pandemia. Vale lembrar que as forças tem representação no legislativo local, tendo a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros um representante cada e a Polícia Civil dois, sendo um delegado e um agente e suas emendas poderiam ser usadas para este fim tão aclamado pelos profissionais. Que não esquecemos também os profissionais que trabalham no Sistema Penitenciário.

No Estado do Pará, o Governo decidiu incluir os profissionais de segurança pública no calendário de vacinação contra a Covid-19. A vacinação de profissionais de segurança estaduais, federais e municipais que estão na linha de frente das ações contra a Covid-19 no Estado iniciou ontem (20/03), (veja imagem abaixo) e que este exemplo seja seguido o mais rápido possível pelo Distrito Federal, pois o preço que estão pagando (mortes) estão cada dia mais alto.

Postar um comentário

0 Comentários