Primeira-dama faz integração de crianças de abrigo com PMDF

Para o comandante-geral da PMDF, Julian Rocha Pontes, esse tipo de iniciativa ajuda a aproximar a polícia da comunidade

MARLENE GOMES, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: ABNOR GONDIM

Visita mesclou momentos de brincadeiras e aprendizado / Foto: Glênio Dettmar / Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância

Crianças que vivem no Instituto Carinho, em Ceilândia Norte, tiveram nesta quarta-feira (24) uma tarde de aprendizado e brincadeiras. Elas conheceram o trabalho realizado pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Distrito Federal. A visita foi uma ação coordenada pela primeira- dama do DF, Mayara Noronha Rocha, com o objetivo de demonstrar as atividades desenvolvidas pela PM e promover a integração das crianças com a corporação.

A primeira-dama enfatizou a importância da iniciativa para o bem-estar das crianças abrigadas no Instituto Carinho. Desde o início da pandemia, elas não estão fazendo qualquer atividade externa, passeios ou visitas, a exemplo do que acontece nas diversas instituições. “Proporcionamos um momento de diversão e alegria para essas crianças, além da oportunidade de convivência”, disse Mayara, que levou o filho, Mateus Rocha, de dois anos, para interagir com as demais crianças.


“Foi uma tarde gratificante, que injetou combustível para continuarmos trabalhando nas pautas da primeira infância”,Mayara Rocha, primeira-dama do DF


A visita reuniu 15 crianças do Instituto Carinho, na faixa etária de 2 a 16 anos, além de seis colaboradores da instituição. Foram seguidas as normas para evitar os riscos da contaminação pelo Covid-19, com o uso de máscaras e de álcool em gel.

Eles conheceram o Centurion II, o veiculo blindado da operação de choque, o ônibus utilizado para o transporte da tropa e os equipamentos que são usados dentro das viaturas do Patamo, como capacete, escudo, perneira, bastão, armamento e munições.

Cães treinados

Na segunda etapa da visita, os cães fizeram a alegria da criançada, com as demonstrações das habilidades dos animais. O Batalhão de Policiamento com Cães abriga 44 animais. Eles são treinados para a busca e captura de fugitivos no mato, detecção de drogas e armas e detecção de explosivos.


“É uma ação importante para desmistificar na sociedade a ideia de que a polícia só prende”Julian Rocha Pontes, comandante-geral da PMDF


Depois das apresentações, as crianças foram convidadas a afagar os cães, sob a supervisão dos cuidadores. Poucos recusaram a oportunidade de fazer carinho nos animais. Para completar a tarde festiva, as crianças receberam saquinhos de guloseimas dos integrantes da corporação.

A primeira-dama se entusiasmou com as reações das crianças, que prestavam muita atenção nas apresentações. Ela explicou que a visita lembrou muito o que ela mesma já tinha vivenciado, quando participava das visitas promovidas pela escola, no seu tempo de criança. “Esse tipo de visita me lembrou a minha infância e me trouxe muita alegria. Foi uma tarde gratificante, que injetou combustível para continuarmos trabalhando nas pautas da primeira infância”, disse Mayara Rocha.
“Crianças sempre sonham em ser policial, por isso fiquei emocionada ao ver a carinha de felicidade delas, participando de tudo”Ana Mazzee, vice-presidente do Instituto Carinho

Para o comandante-geral da PMDF, coronel Julian Rocha Pontes, esse tipo de iniciativa ajuda a aproximar a polícia da comunidade. ”É uma ação importante para desmistificar na sociedade a ideia de que a polícia só prende”, explicou o comandante.

Emoção

A visita divertiu também outros adultos. Os olhos lacrimejantes mostravam o tamanho da emoção de Ana Laura Teoffano Mazzee, vice-presidente do Instituto Carinho. “Crianças sempre sonham em ser policial, por isso fiquei emocionada ao ver a carinha de felicidade delas, participando de tudo. Foi uma experiência única”, analisou Ana Laura.

Postar um comentário

0 Comentários