Total desdém pela justiça: ‘No Brasil, tu não fica em cana’ diz Robinho “aos risos”, sobre estupro de jovem em boate


 Brasil – Após o atacante Robinho ter a pena de nove anos de prisão confirmada, nesta quinta-feira (11)  por estupro coletivo a uma jovem albanesa, o UOL Esporte divulgou nesta manhã, a transcrição de mais uma conversa telefônica em que o jogador debocha ao falar sobre o crime que aconteceu em uma boate, em Milão, na Itália, em 2013.

De acordo com o UOL, a conversa telefônica foi gravada com autorização judicial e a transcrição anexada ao processo em 18 de novembro, pela defesa do próprio  jogador. A defesa alegou que houve erros de tradução da língua portuguesa para a italiana nas conversas interceptadas e apresentou o relatório como uma tentativa de reverter a condenação de Robinho.

ATENÇÃO: ALERTA GATILHO!!!

Leia a seguir a transcrição dos aúdios divulgados pelo UOL sobre o estupro coletivo de uma jovem de apenas 23 anos em uma boate;

Na tentativa de assustá-los, a vítima contou ao grupo que havia engravidado. Robinho conversa com um amigo sobre a possibilidade.

Amigo 1: Neguinho, por exemplo, se a mina não teve, não pega nada, mas se ela teve filho aí é DNA, né?

Robinho: então, e agora mano? Vai entender se a menina teve filho. Ninguém sabe se ela teve, se ela não teve, a polícia não vai falar.

Amigo 1: Então, por exemplo, se ela não teve filho é a palavra dela contra a da gente, não tem como ela acusar, agora se ela teve filho é puxado hein.

As investigações sobre o caso avançaram e Robinho passou a ficar preocupado com a divulgação do caso na imprensa.

Robinho: […] eu tô com medo se os caras me chamarem para depor, eu não sei, tomara a Deus que, o meu medo é esse, o meu medo é sair na imprensa, “Amigos de Robinho estupraram menina lá na Europa”, meu medo é esse.

Amigo 1: Nossa. Robinho: Ó a falha, ó a falha, foda mano, tô com a cabeça um trevo aqui mano.

Amigo 1: Agora até a minha ficou. Se sair no, no, Globo.com, cai todo mundo por tabela…

Nessa outra conversa, o atacante Robinho conta que aconselhou o amigo, Ricardo Falco, a não prestar depoimento e voltar para o Brasil, afim de evitar uma prisão.

Robinho: […] aí os caras ligou e falou para o [apelido de Ricardo] ir depor segunda-feira, falou ‘Segunda-feira é o seu Ricardo, você vai vir aqui na Corregedoria, na Polícia Federal, ou vamos te buscar?’ O Ricardo me ligou e falou ‘Neguinho, os cara me ligaram pra eu ir lá, tu não tem nenhum advogado pra me emprestar, pra me pagar?’ eu falei ‘Advogado? Vou chamar advogado? Não tenho advogado’.” Porque o do Ricardo estava com medo porque, ele tá sem documento nenhum […] é arriscado ele ir e ficar por lá mesmo.

Amigo 1: Nossa. Vai vir direto pro Brasil já, de lá.

Robinho: É. (Risos) Eu falei: “- Cara, você quer um conselho? Não vai nem lá, volta pro Brasil pelo menos tu não fica em cana (risos)

Robinho volta a afirmar que não chegou a ter penetração com a vítima. No fim da conversa interceptada, o jogador confirma que viu os amigos, “desesperados”, transarem com a moça. Ele usa termos chulos ao falar, aos risos, sobre o abuso sexual (“rangar” e “trabalhar”).

Robinho: […] eu lembro que foi, quem tava desesperado era [amigo 3] e [amigo 2] em cima da mina. [amigo 3] e [amigo 2] tava num desespero da porra.

Amigo 1: Neguinho vai, quando eu cheguei lá os cara tava trabalhando já, eu só entrei no trabalho…

Robinho: Então, eu também, porque eu nem consegui tirar o doze, mano, fazer o que, agora os caras (Risos).

[Doze seria uma referência ao órgão sexual masculino. Robinho alega que não penetrou a mulher por impotência.]

Amigo 1: Os caras tavam trabalhando já, eu só fui dar uma força.

Robinho: (Risos) trabalhando… (Risos)

Amigo 1: é, mano, por mim já tinha ido embora já, eu queria ir embora.

Robinho: Quero vê se a mina tá com um carnê, aí eu quero vê mano. [sic]

Amigo 1: Puta aí o bicho pega, pega pra todo mundo.

Robinho: Pra todo mundo não, eu não ranguei, eu tenho certeza que eu não tenho nada, agora quem rangou, que foi você que eu vi, eu sei…

Amigo 1: Eu tava de caneleira, eu tava com caneleira, né.

[Caneleira seria uma referência a preservativo]

 Fonte: UOL e CM7

Postar um comentário

0 Comentários