Motoristas de transportes por aplicativo fazem fila de ônibus em protesto na Esplanada do Ministérios em Brasília

 

Sérgio Lima - Poder 360


Motoristas e representantes de pequenas empresas de ônibus que fazem fretamento de viagens por meio de aplicativos —semelhantes ao Uber e ao Cabify— reuniram-se nesta 4ª feira (2.nov.2020) para protestar em Brasília. De acordo com a organização do ato, cerca de 300 ônibus se enfileiraram na Esplanada dos Ministérios e um grupo de aproximadamente 1.000 manifestantes se espalhou por pontos da capital federal.

As empresas reclamam principalmente da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Dizem que há perseguição proposital aos operadores de transportes por aplicativo. Afirmam também que, mesmo com decisões judiciais que permitem as viagens, há impedimentos para a atividade.

O CEO da Buser, Marcelo Abritta, uma das principais empresas de fretamento por aplicativo, e um grupo de donos de empresas foram ao Palácio da Alvorada na manhã desta 4ª (2.dez). Pretendiam falar com o presidente Jair Bolsonaro, que os recebeu em frente à residência oficial.



Os manifestantes pediram a revogação do Decreto 2521, que estabelece o chamado “circuito fechado”. É a obrigatoriedade de venda das passagens de ida e volta de uma mesma viagem para o mesmo grupo de passageiros. Bolsonaro disse que deve acatar o pedido.

A gente revoga talvez hoje ainda”, disse o presidente. O chefe do Executivo ligou no mesmo momento, enquanto estava com o grupo, por videoconferência para o ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e prometeu aos manifestantes que estudaria a reivindicação durante a agenda do dia. Freitas está com covid-19.

Ele [Bolsonaro] falou que, se não tiver nenhuma contradição legal, a gente pode resolver esse problema ainda hoje. Temos uma série de agenda com autoridades, com Rodrigo Maia e no ministério do Turismo. Às 14h, teremos uma reunião que o presidente determinou”, disse o CEO da Buser depois de se encontrar com o presidente. Relata a matéria do Poder 360(link)



Postar um comentário

0 Comentários