"Indicado" ao STF, Kassio Nunes recebe suntuosos elogios de renomado advogado petista

Kakay diz que Kassio Nunes está à altura do cargo de ministro do Supremo

O criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, fez comentários a respeito das ligações políticas de Kassio Nunes, que será indicado por Jair Bolsonaro para a vaga de Celso de Mello no STF

Kakay e Kassio Nunes (Foto: Reprodução | Samuel Figueira/TRF 1ª Região)

O criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, fez comentários a respeito das ligações políticas de Kassio Nunes, que será indicado por Jair Bolsonaro para a vaga de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Quando o doutor Kassio Nunes foi nomeado desembargador federal pela Dilma a notícia foi que ele era ‘um homem do Wellington Dias’, do PT do Piauí”, disse Kakay. 

Ele reforçou, porém, que “agora, querem dizer que ele, nomeado ministro do Supremo pelo Bolsonaro, é uma ‘nomeação do Ciro Nogueira’, piauiense e do Centrão”. “Ao invés de dar ao futuro ministro poderes de unir o PT e o Centrão é mais honesto ver o simples: ele está à altura do cargo de ministro do Supremo”, afirmou.

Bolsonaro comunicou a ministros do STF que a escolha do substituto do ministro Celso de Mello na Corte será o desembargador do Piauí, do TRF-1. A informação foi publicada pelo colunista Lauro Jardim.

Segundo a jornalista Mônica Bergamo, ele também avisou o próprio desembargador: “vai ser você”. E surpreendeu a todos, magistrados e desembargador, pelo fato de o nome de Nunes não constar em nenhuma das listas de apostas.

Depois do aviso, Bolsonaro levou Nunes à casa de Gilmar Mendes, onde se encontraram também com Dias Toffoli, com o ministro das Comunicações, Fabio Faria, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

Nunes era candidato a uma vaga no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que será aberta com a saída do ministro Hugo Napoleão, que se aposenta em dezembro. Bolsonaro já havia dito que gostaria de indicar alguém “terrivelmente evangélico” para a vaga. Kassio Nunes é católico.

Segundo o Infomoney, o nome agrada a ala mais “garantista” do tribunal. A decisão pode ser modificada até a oficialização. Mello só se aposenta no dia 13 de outubro. Nunes Marques tem apoio de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e do senador conterrâneo Ciro Nogueira (PP-PI), presidente do Progressistas.

Seria o único representante do Nordeste no STF. Ele já se pronunciou em público a favor da prisão em segunda instância, com ressalvas que o aproximam da interpretação dos mais garantistas no STF.

Matéria do Brasil 247

Postar um comentário

0 Comentários