Em jantar de ‘conciliação’, Maia e Guedes pedem desculpas por atritos e falam em acelerar reformas

 


Após uma intensa troca de farpas em público em razão da reforma tributária e do Renda Brasil, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (MDB-RJ), se encontraram na casa do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, em um jantar organizado para “selar a paz” entre os poderes e acelerar as reformas no país. Durante o jantar, os dois, acompanhados do presidente do Senado, David Alcolumbre, falaram com a imprensa, e se desculparam pelas recentes declarações.

“Gratidão não prescreve. Paulo Guedes foi a única pessoa que me apoiou na eleição. Fomos nos afastando, e na semana passada eu fui grosseiro, peço desculpas”, disse Maia. Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, os poderes precisam “estar unidos dentro do teto de gastos para encontrar soluções para o problema de transferência de renda, que precisa ser criado”, afirmou. Maia reforçou que o teto de gastos é a urgência do governo. “Acho que a partir de amanhã, precisamos retomar o trabalho unidos, todos os líderes na Câmara e no Senado que compreendem a modernização do Estado e a importância da construção de um programa social dentro do teto de gastos, para dar suporte a milhões de famílias que vão precisar no início de 2021”.

Guedes também sinalizou com a bandeira branca em sua fala, agradeceu ao presidente da Câmara e afirmou que eles trabalham “muito bem juntos”. O ministro sinalizou que a PEC do Pacto Federativo está sendo atualizada para incorporar questões do Orçamento de Guerra. Ele endossou o discurso do deputado de que os poderes precisam trabalhar em conjunto. “Do meu lado nunca houve diferenças pessoais, estamos todos trabalhando pelo Brasil”, disse. “As vezes temos desentendimentos, são normais pelos pontos de vista, mas sempre abertos a conversar e recolocar no lugar a necessidade de cooperação que temos”.

Fonte: JovemPan

Postar um comentário

0 Comentários