HOMEM QUE MORREU COMIDO VIVO POR URSO FOI CONTADO COMO MORTE DE COVID-19

Um homem que morreu após ser atacado por um urso pardo foi contado como uma morte COVID-19 no Alasca, de acordo com o Anchorage Herald.

Bernard Russell, 67, estava caminhando perto de sua casa quando foi atacado pelo que se acredita ser um urso pardo.
Russell foi encontrado em estado crítico, parcialmente decapitado e sem vários órgãos e membros perto da Rodovia Glenn antes de ser transportado para o Hospital Regional do Alasca.
A equipe do hospital tentou reanimar o homem de 67 anos,  mas seus esforços não tiveram sucesso.

“Possivelmente o urso pardo foi atraído pelo cheiro do coronavírus transmitido pelas partículas que flutuam no ar”, disse o Dr. Alan White, do Hospital Regional do Alasca, a jornalistas.


Embora nenhum teste de coronavírus tenha sido feito nos restos mortais de Bernard Russell, 67, a equipe do hospital determinou que COVID-19 foi o responsável pela morte do homem.

“Se este homem respeitasse o distanciamento social com o urso e usasse uma máscara, essa morte poderia ter sido facilmente evitada”, admitiu o Dr. Alan White no Hospital Regional do Alasca.

Embora nenhum teste COVID tenha sido feito nos restos mortais de Bernard Russell, o Dr. Alan White afirma que o falecido apresentou "sintomas avassaladores da doença", embora vários de seus membros e órgãos tenham sido declarados desaparecidos.
“Se as pessoas não respeitarem as medidas sanitárias simples para combater a COVID-19, esses trágicos incidentes provavelmente se repetirão”, alertou o Dr. White.

O Hospital Regional do Alasca negou repetidamente relatar casos positivos de COVID após o estabelecimento estar sob escrutínio por rotular quatorze vítimas de avalanches como mortes positivas de COVID-19 em março passado.

Postar um comentário

0 Comentários