Prefeitos gaúchos reagem em massa à política de decretos e vão para o uso maciço da cloroquina

Jornalista Polibio Braga


Estes 27 municípios gaúchos poderão distribuir em massa a cloroquina,a hidroxicloroquina e a azitromicina: André da Rocha, Barão, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Carlos Barbosa, Coronel Pillar, Cotiporã, Dois Lajeados, Fagundes Varela, Garibaldi, Guabiju, Guaporé, Monte Belo do Sul, Nova Araçá, Nova Bassano, Nova Prata, Paraí, Pinto Bandeira, Protásio Alves, Santa Teresa, São Jorge, São Valentim do Sul, São Vendelino, Serafina Corrêa, Veranópolis, Vila Flores e Vista Alegre do Prata.

Os prefeitos de Gravataí, Carazinho, Campo Bom, Parobé e São Lourenço resolveram não esperar sentados e apenas editando decretos e ajustes ao sistema gaúcho de bandeirolas.

O movimento de confrontação à atual política de bandeirolas, decretos, confinamento e de ampliação de leitos e UTIs é liderado pelos prefeitos gaúchos, pressionados por medidas concretas para prevenir e medicar seus cidadãos, com ênfase para testagem e a distribuição maciça de medicamentos.

Nesta quinta-feira o editor já tinha conversado com a prefeita Fátima Daudt, Novo Hamburgo, a respeito da reunião que prefeitos mantiveram com o procurador federal Alexandre Schneider, tudo para tratar daelaboração conjunta de protocolos com vistas ao uso em massa de medicamentos como hidroxicloroquina, invectemicina e azitromicina. Os prefeitos não querem mais ficar apenas editando decretos de confinamento e ampliando leitos e UTIs.

O MPF e os prefeitos fecharão um Termo de Ajustamento de conduta e os municípios terão de disponibilizar cloroquina, hidroxicloroquina e azitromicina para que os médicos possam receitá-los aos pacientes na fase inicial da doença. Tudo conta com a participação de médicos favoráveis ao tratamento precoce em reuniões por videoconferência.

COLUNA POLÍBIO BRAGA

Postar um comentário

0 Comentários