PT vai ao Supremo para proibir Bolsonaro de recomendar cloroquina

O partido também pediu a proibição de outros tratamentos em fase de testes

O PT apresentou ao Supremo uma ação que visa proibir Jair Bolsonaro e integrantes do governo de recomendar medicamentos que ainda não têm eficácia definitivamente comprovada contra a Covid-19, como o antimalárico cloroquina, ou o vermífugo nitazoxanida.
“As autoridades públicas possuem a obrigação de ter consciência dos desdobramentos de suas falas, de tal sorte que a divulgação de uma possível solução para a COVID-19 inevitavelmente colaborará por uma busca desenfreada por tais medicamentos nas farmácias, sem considerar o potencial lesivo dos efeitos colaterais e, muito menos, da escassez que promoverá àqueles que efetivamente demandam desses medicamentos para seus tratamentos regulares”, diz a ação.
O partido também acusa o presidente e o governo de mascararem a realidade sobre a gravidade da doença. Por isso, pede que o governo divulgue informações mais amplas e promova maior testagem da população para diminuir a subnotificação.
A ação foi encaminhada para Alexandre de Moraes, autor de decisão que impediu Jair Bolsonaro de suspender medidas de isolamento decretadas pelos estados.
Informações O Antagonista

Postar um comentário

0 Comentários