Ação para barrar nomeação de Ramagem na PF é rejeitada





TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Imagem: Reprodução/Twitter

Juiz entende que não lhe foi apresentado “demonstração inequívoca” de suposto desvio de finalidade de Bolsonaro.


Um pedido dos senadores Randolfe Rodrigues e Fabiano Contarato, do partido Rede Sustentabilidade, para barrar a nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal (PF) foi rejeitado pelo juiz federal Ed Lyra Leal, de Brasília.

Além de barrar a nomeação, os parlamentares queriam suspender a exoneração do ex-diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, pivô da saída do ex-ministro Sergio Moro do governo Jair Bolsonaro.

De acordo com o juiz Leal, os senadores não apresentaram “demonstração inequívoca” de suposto desvio de finalidade do chefe do Executivo ao demitir Valeixo do cargo.

Em sua decisão, segundo o jornal Estadão, o magistrado afirmou:


“O notório contexto de desavença política e divergências de versões entre as autoridades recomenda prudência na precisa apuração dos fatos noticiados.”

E acrescentou:Ação para barrar nomeação de Ramagem na PF é rejeitada

“No mais, a inicial traz ilações e alegações vagas como o suposto propósito de interferência política.”

Apesar da tentativa dos opositores do governo Bolsonaro de barrar a nomeação de Ramagem, a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) demonstrou satisfação com a indicação.

Postar um comentário

0 Comentários