Banner Acima Menu INTERNAS

Mato Grosso poderá não pagar servidores por conta da economia parada no confinamento


Governador não garante pagamento de servidores por conta da baixa arrecadação
Mendes não garantiu o pagamento dos servidores no mês de abril, já que há uma previsão de o estado arrecadar até 30% menos

Jefferson Oliveira
Cuiabá


Foto: Christiano Antonucci

O governador Mauro Mendes (DEM) durante entrevista na TV Centro América no programa MT-1, na manhã desta terça-feira (24), revelou quem em reunião com presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) falou das ações de combate a pandemia do coronavírus, cobrou do presidente o repasse de R$ 500 milhões referentes ao Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) de 2018 e adiantamento de mais R$ 500 milhões do FEX 2019, e disse que não é certeza que os servidores públicos recebam o salário em abril.

Mendes disse inicialmente que o pacote anunciado pelo governo federal na tarde de segunda-feira (23) beneficia as regiões do Norte e Nordeste, e não as regiões do Sul, Centro-Oeste e Sudeste.

“Mostramos ao presidente que o pacote de medidas que ele fez foi bom para os estados do Norte e Nordeste, pois garantiu a esses estados o Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), vai garantir independente da arrecadação federal o mesmo que os demais estados. Em Mato Grosso esses números representam 11%, enquanto Nordeste representa 80%, para nós é muito pouco”, disse Mauro.

A fala do governador é referente a uma das medidas do governo federal que disse que fará a recomposição do FPE e do FPM, diante do que se estima de perda de arrecadação em função dos impactos econômicos da doença: R$ 16 bilhões.

Outro detalhe que chamou a atenção na entrevista, foi que Mendes não garantiu o pagamento dos servidores no mês de abril, já que há uma previsão de o estado arrecadar até 30% menos, por conta do isolamento social provocado no combate ao coronavírus.

“A crise vai atingir muita gente, e nós servidores públicos, digo nós pois, hoje também sou um servidor público, não podemos ser uma ilha, está todo mundo em crise, e só nós que não? Há uma previsão que a arrecadação caia em torno de 20% a 30% no próximo mês. Há uma probabilidade de cair muito a receita e sem dinheiro como que se paga? Não podemos dizer nem sim e nem não agora, mas como pagarei salário se não entrar receita? Meu desejo é pagar o salário, mas para isso precisamos de dinheiro em caixa”, detalhou o governador.

Mendes falou que a baixa arrecadação é por conta de vários municípios do estado estarem com decretos que fecham comércios, empresas, e com isso o poder de consumo diminuiu muito no estado.

O governador também revelou que na tarde desta terça-feira, irá realizar uma reunião com o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) e Lucimar Campos (DEM), prefeita de Várzea Grande. Mendes explicou que a reunião não foi marcada em data anterior, pois ele precisava de um posicionamento do governo federal.

“Hoje vou receber no palácio o prefeito de Cuiabá e a prefeita de Várzea Grande. Vamos intensificar esse diálogo, mas já comecei a ligar para alguns prefeitos e vamos construir uma estratégia para que o poder público possa tratar o coronavírus e sair dessa crise econômica que vai se instalar no estado”.

Mauro também disse que durante a reunião com o governo federal, o ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta, orientou aos municípios que não há casos confirmados de coronavírus que não fechem às portas e criem restrições.

“O ministro foi claro, cidades que não há casos, estão tomando medidas precipitadas, pois se não daqui a pouco vai ter mais gente morrendo de fome, do que de coronavírus. As pessoas precisam trabalhar, precisam do seu salário, e fechando as portas das empresas, daqui a pouco o estado vira um caos, sem arrecadação e aí estado e município sem arrecadar, vai ser servidores sem salários, pessoas em desesperos e empresas quebrando”, pontuou.

No estado até a manhã desta terça-feira, há 39 municípios com casos suspeitos de coronavírus e 102 cidades sem caso algum. Confirmados, apenas em Cuiabá e Várzea Grande, onde a capital tem 5 pacientes com o COVID-19 e Várzea Grande um caso.

Jornal Estadão do Mato Grosso

Postar um comentário

0 Comentários