GDF muda a proposta, entretanto valores finais não deverão ser diferentes da última versão

GDF muda proposta de reajuste de militares: 1ªs parcelas maiores
Segundo secretário de Segurança Pública, nova versão da proposta também prevê incorporação gradual do auxílio-moradia

JP RODRIGUES/METRÓPOLES

FRANCISCO DUTRA
francisco.dutra@metropoles.com

Parcelas iniciais maiores e incorporação gradual do auxílio-moradia são os eixos da nova proposta do Governo do Distrito Federal (GDF) de reajuste salarial para a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Segundo o secretário de Segurança Pública, Anderson Torres (foto em destaque), o percentual final da recomposição será o mesmo apresentado na primeira versão em 20 de novembro de 2019: 31,48%.

Os percentuais ainda estão na fase de cálculos. Segundo Torres, uma das principais alterações no projeto é a antecipação de percentuais maiores do reajuste para as primeiras parcelas. Inicialmente, as taxas estavam dispersas nas seis parcelas, e o aumento real só seria sentido após três anos.

São seis pagamentos de aumento. Cada um, com aproximadamente 5%. “O que foi pedido foi assim: puxa 7% para a primeira e deixa uma com 3%, lá na frente. Porque aí não tem redução salarial. Mas não é aumentar a proposta”, explicou o secretário.

“O reajuste é um compromisso do governador Ibaneis Rocha (MDB). É um reajuste alto para um GDF que já vem passando por dificuldades financeiras”, afirmou Anderson Torres.


Inicialmente, a incorporação do auxílio-moradia seria toda na primeira parcela. “A fórmula que o governo encontrou, até por ideia de alguns militares que nos ajudaram, foi exatamente não incorporar o auxílio-moradia de uma vez”, contou Anderson Torres.

A incorporação gradual seria distribuída entre as seis parcelas do reajuste. “Agora, a gente tem que ser honesto. Não é à toa que esse auxílio-moradia foi questionado no Tribunal de Contas da União e estava à beira de se perder. Nós estamos corrigindo um problema, criado por governos anteriores”, pontuou o secretário.


Nós estamos resolvendo isso de forma definitiva. O policial vai ter isso [o auxílio] dentro do salário. Vai levar para onde ele for, para a reserva, a inatividadeANDERSON TORRES, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA
Críticas

A integração imediata do auxílio na primeira versão do reajuste despertou críticas de associações de PMs e bombeiros. Em primeiro lugar, havia o receio de suspensão do pagamento antes de a primeira parcela da revisão salarial ser creditada às categorias, reduzindo os rendimentos entre R$ 1,2 mil e R$ 3,6 mil.

Além disso, a entidade temia que a incorporação gerasse um efeito cascata nos contracheques, aumentando a cobrança de impostos e dificultando o pagamento de pensões. Representantes dos militares também criticaram a divisão inicial dos percentuais do reajuste, justamente pela demora para o ganho do aumento real no contracheque.

Reforma nacional

“Quero deixar bem claro que as perdas alegadas por eles não foram em razão dos cálculos do GDF, e sim da reforma da Previdência dos militares, que, inclusive, todo salário vai diminuir. O meu, a partir de março, diminui 5%. É uma diminuição considerável no meu salário de delegado da Polícia Federal”, argumentou Torres.

“O GDF não vai pagar o aumento do tributo que o governo federal vai fazer. Isso não vamos fazer. É uma política nacional para salvar a previdência”, enfatizou o secretário do DF. Por outro lado, ele garante que o Buriti vai mexer nos números sem aumentar despesas para que os militares não sofram redução salarial, pelo menos neste período inicial.

De acordo com o secretário de Segurança Pública do DF, a nova versão deverá ser encaminhada para o Palácio do Planalto até o final desta semana. Pelo fato de as forças de segurança do DF serem custeadas pela União, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve encaminhar o projeto para o Congresso Nacional.

Reportagem do Metropoles


Postar um comentário

4 Comentários

  1. Cara, GDF nao tem inrereintde dar aumento para ninguém, o que o Bolsonaro falou ? O mesmo percentual para tidiso7 naoqasinan, aí o cara vai continuar enviando aumenro diferente. Agyardem, nada de aumento nesse governo.

    ResponderExcluir
  2. CFSD - 1995 - PMDF11/12/2019 11:57

    “O reajuste é um compromisso do governador Ibaneis Rocha (MDB). É um reajuste alto para um GDF que já vem passando por dificuldades financeiras”, afirmou Anderson Torres.

    OU SEJA, o governador laborou em engano em 13/10/2018 durante a campanha eleitoral, quando disse que os reajustes pleiteados não eram concedidos por falta de boa gestão do ex-governador Rollemberg. E, ainda, disse que, "NOSSOS TÉCNICOS JÁ FIZERAM TODOS OS CÁLCULOS, E TEMOS SIM CONDIÇÕES DE DAR OS REAJUSTES!"
    Lembrando que, nessa mesma data de 13/10/2018, o então candidato afirmou que os mesmos 37% que concederia à PCDF seriam estendidos à PMDF, pois, conforme já dito acima, os cálculos feitos por seus técnicos apontavam para a capacidade financeira do Estado atender tais pleitos!

    NOTÍCIA DO CORREIO BRAZILIENSE NA ÉPOCA:
    *Em campanha, Ibaneis garante reajuste de 37% a policiais militares e civis*
    - De acordo com o candidato, ele abrirá um novo concurso para a PM no primeiro mês de governo
    WG Walder Galvão - Especial para o Correio
    postado em 13/10/2018 10:54 / atualizado em 13/10/2018 11:45

    Link: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/10/13/interna_cidadesdf,712498/em-campanha-ibaneis-garante-reajuste-de-37-a-policiais-militares-e-c.shtml

    EIS parte do texto jornalístico, jamais contestado pelo governador:
    "Na corrida pela chefia do Palácio do Buriti, Ibaneis Rocha (MDB) se reuniu com representantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros na manhã deste sábado (13/10). Durante o encontro, ele garantiu a paridade salarial da Polícia Civil e garantiu que os militares teriam aumento proporcional ao dos agentes, ou seja, acréscimo de 37% na remuneração.

    O emedebista garante que há orçamento disponível para realizar os aumentos. “Já está tudo calculado. Se for necessário, usaremos recursos do Distrito Federal para manter as forças de segurança”, prometeu."

    Link: https://jornaldebrasilia.com.br/politica-e-poder/ibaneis-promete-reajuste-de-37-militares-e-paridade-salarial-pcdf/

    A MESMA NOTÍCIA FOI PUBLICADA PELO JORNAL DE BRASÍLIA

    *Ibaneis promete reajuste de 37% a militares e paridade salarial à PCDF*

    Publicado 1 ano atrás
    em 13/10/2018
    Como o conteúdo é bem semelhante, deixo de colocar trecho da matéria do Jornal de Brasília.

    ResponderExcluir
  3. Primeiro e último reajuste dado por esse governo, só vai vir porque está atrelado ao da PCDF, graças ao nosso Presidente Bolsonaro, o GDF fez de tudo para nãodá este reajuste para a PMDF.

    ResponderExcluir
  4. Esse secretário são como os outros,o auxílio moradia está previsto em lei, a incorporação nós soldos vai mudar completamente os descontos, o governo está dando com uma mão e tirando com as duas.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO!!!! COMENTÁRIOS LIBERADOS!!!! MAS...O BLOG não se responsabiliza por comentários que contenham ataques pessoais e ou ofensas a pessoas físicas, jurídicas ou conteúdo que possa por ventura ser interpretado, pelos órgãos de correição, como transgressão da disciplina, crime militar ou comum. Neste espaço não é permitido a discussão de temas militares, por conta da legislação castrense. Na medida do possível o administrador do BLOG irá moderar os comentários que julgar necessário.