Para o reajuste já há recursos, aponta o SINPOL.





Diretoria discute pleitos da categoria com representantes sindicais







Gaúcho apresentou panorama das negociações; ele informou que o sindicato tem dialogado com políticos do cenário distrital e federal | Fotos: Arnon Gonçalves/Sinpol-DF

Da Comunicação Sinpol-DF
Na tarde desta quarta, 28, os representantes sindicais discutiram, em reunião com a Diretoria Executiva do Sinpol-DF, a continuidade dos esforços de articulação política em torno da recomposição salarial da categoria. O grupo avaliou que o diálogo político é o caminho mais adequado neste momento.
O presidente do sindicato, Rodrigo Franco “Gaúcho”, deu início à discussão traçando um panorama da situação atual das negociações, informando o que tem sido conversado com os agentes políticos do cenário distrital e federal.
Gaúcho pontuou que há um cenário de incertezas em razão das recentes notícias apontando para a fragilidade das contas do Governo do Distrito Federal (GDF), mas lembrou que os recursos para que a recomposição seja paga este ano já estão aprovadas no orçamento.





Para a diretoria, a data limite para que haja um avanço é 10 de outubro; representantes sindicais têm o mesmo entendimento

“Nós temos mantido uma postura de diálogo com o governo porque, de fato, já houve grandes mudanças em relação ao governo anterior, tanto que a chamada mensagem foi finalmente enviada”, afirmou, ressaltando que a expectativa está, agora, na aprovação da reforma da previdência para que nossa recomposição saia.
PRAZO
Os diretores do Sinpol-DF ressaltaram que todos os atores políticos que, de alguma forma, estão envolvidos com o pleito apontam, de forma unânime, que qualquer avanço nesse sentido só deve ocorrer depois de encerrada a votação da Reforma da Previdência.
Diretoria conclamou a categoria a se manter alerta para retomar a luta pela recomposição salarial

“Isso deve ocorrer até o dia dez de outubro e essa deve ser nossa data limite”, anunciou o presidente do sindicato. Ele destacou, por outro lado, a importância de estímulo à união e organização da base já a partir de agora. “Havendo necessidade, temos que estar prontos para retomarmos a luta com a mesma disposição que sempre foi a marca da nossa categoria”, ponderou.
O mesmo entendimento, de forma geral, foi feito pelos representantes sindicais. Eles entenderam que foco do sindicato, a fim de garantir a assinatura pelo presidente da Medida Provisória com a recomposição salarial, deve se manter na costura política.
Além dessa questão, o grupo levou à diretoria reivindicações e sugestões da base e recebeu as últimas informações acerca de demandas como o atendimento à saúde dos policiais, o Serviço Voluntário Gratificado (SVG), o pagamento das licenças-prêmio e a Reforma da Previdência.

Postar um comentário

0 Comentários