Reforma vai gerar economia de R$ 1,236 trilhão em 10 anos, diz governo


Kelly Oliveira - Repórter da Agência Brasil Brasília


A economia prevista pelo governo com a reforma da Previdência pode chegar a R$ 1,236 trilhão, em 10 anos. O novo número foi divulgado hoje (25) pelo Ministério da Economia, ao apresentar o impacto detalhado da proposta de reforma.
O impacto de mudanças na aposentadoria rural será de R$ 92,4 bilhões e a urbana, R$ 743,9 bilhões, em 10 anos.
As mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BCP) são de R$ 34,8 bilhões, e no abono salarial, de R$ 169,4 bilhões.

Alíquotas

As mudanças nas alíquotas do regime geral urbano vão gerar maior despesa para o governo.
Segundo o secretário de Previdência, Leonardo Rolim, mesmo com a previsão negativa de R$ 28,4 bilhões, o governo optou pelas novas regras para tornar o sistema mais justo.
“Uma das principais premissas da Nova Previdência é quem ganha mais paga mais, quem ganha menos paga menos. Hoje o nosso regime faz o inverso”.
Outro item que gera prejuízo na proposta é chamado de “outros” (- R$ 8,2 bilhões) e refere-se aos auxílios doença, maternidade e reclusão, por exemplo.
DETALHAMENTO               10 anos (R$)    Percentual
RGPS (Total)                                807,9 bi
RURAL                               92,4 bi      7,5%
Aposentadoria por Idade       66,4 bi      5,4%
Pensão por Morte                26,1 bi      2,1%
URBANO                            743,9 bi     60,2%
Aposentadoria por Idade       128,0 bi     10,4%
Aposentadoria
por Tempo de Contribuição   432,9 bi     35,0%
Tempo de Contribuição        363,4 bi      29,4%
Professor                           12,0 bi        1,0%
Especial                            57,6 bi        4,7%
Aposentadoria
por Invalidez                      79,4 bi        6,4%
Pensão por Morte              111,7 bi       9,0%
Outros                               -8,2 bi        -0,7%
Novas Alíquotas
de Contribuição                  -28,4          -2,3%
RPPS União (Total)                       224,5 bi
Redução de Despesa         155,4 bi      12,6%
Aumento da Receita           41,4 bi        3,3%
Novas Alíquotas
de Contribuição                  27,7 bi        2,2%
BPC/Loas Idoso                 34,8 bi        2,8%
Focalização
do abono salarial                169,4 bi      13,7%
TOTAL                               1.236,5 tri   100,0
%

Postar um comentário

1 Comentários

  1. JOEL - PMDF25/04/2019 20:10

    Balela. Estão querendo cobrar a conta de quem não criou esse rombo.
    Trabalhadores rurais e servidores públicos comuns, como policiais e professores, não merecem pagar essa conta.
    O Governo Bolsonaro esqueceu que o povo o elegeu para combater a corrupção, acabar com todo tipo de ideologia doentia nos espaços públicos e a farra da bandidagem nas ruas do país. Só isso. Ninguém do povo humilde que votou nele contava com o fim de direitos sociais básicos.

    Bolsonaro e seu governo sequer está percebendo que a esquerda está conseguindo construir novamente seus discursos mentirosos, e conseguindo eco junto ao povo novamente. Depois a esquerda volta ao poder, e vão dizer que o povo não sabe votar.
    Está claro que é a direita que não sabe ouvir o povo. Infelizmente.

    Pelo visto, não foi só a esquerda que não entendeu o recado das urnas. Bolsonaro também não entendeu o recado das urnas.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO!!!! COMENTÁRIOS LIBERADOS!!!! MAS...O BLOG não se responsabiliza por comentários que contenham ataques pessoais e ou ofensas a pessoas físicas, jurídicas ou conteúdo que possa por ventura ser interpretado, pelos órgãos de correição, como transgressão da disciplina, crime militar ou comum. Neste espaço não é permitido a discussão de temas militares, por conta da legislação castrense. Na medida do possível o administrador do BLOG irá moderar os comentários que julgar necessário.