É mais arriscado servir na PM carioca do que em qualquer guerra desde o século XX, inclusive as I e II Guerras Mudiais


O projeto Heróis do Rio de Janeiro tem por objetivo honrar seus guerreiros, reduzir o número de policiais mortos e feridos, além de dar assistência aos milhares de órfãos desses policiais . 

A PM do Rio de Janeiro teve, de 1994 para cá, mais de 20.000 mortos por causas não naturais, feridos e afastados por problemas psiquiátricos/psicológicos, sem falar nas mortes naturais associadas ao estresse permanente de quem é policial 24h por dia, em serviço ou de folga. 

Tem sido mais arriscado servir na PMERJ desde 1994, do que em qualquer guerra travada pelas forças armadas dos EUA desde o século XX, incluindo as I e II Guerras Mundiais. Como exemplo, a taxa de feridos aqui foi mais de oitocentos e seis vezes (806,57) superior a de ter servido durante a Guerra do Golfo Pérsico (Kuwait), e a de ser morto foi mais de três vezes (3,96) a de ter servido durante a Guerra da Coréia, e três vezes (3,85) a de ter servido durante a Guerra do Vietnã. Isso acontece em maior ou menor intensidade no Brasil. Temos que controlar e reduzir isso.


De tantas vezes assistirmos uma média de 2 policiais militares mortos ou feridos por dia, resolvemos fazer uma discussão ampla do problema, para encontramos uma solução. 

Haverá 3 dias de evento reunindo Policiais Militares de todos os Estados da Federação, Policiais Civis, PF, PRF, Ministros, Militares das Forças Armadas e integrantes dos Sistemas de Inteligência e Justiça Criminal. 

No 1º dia a APRESENTAÇÃO DO DOCUMENTÁRIO "Heróis do Rio de Janeiro", mostrará a realidade, as razões, as causas, as conseqüências, historias reais e sugestões para controlar e reduzir o problema nacional, muito intenso no RJ, de policiais militares serem mortos e feridos por criminosos, e sofrerem traumas psicológicos que os afastam do trabalho, inclusive afetando suas famílias. 
O documentário revela histórias reais dos policiais militares cariocas vitimados em ação. Histórias estas, desconhecidas da população. De homens e mulheres que trabalham num ambiente de guerra assimétrica urbana, sofrem letalidades absurdas, com sequelas físicas e psíquicas gravíssimas. 
Participam do documentário o Procurador de Justiça Marcelo Rocha Monteiro, o professor Ricardo Moderno da UERJ (in memorian), assim como depoimentos especiais 
de policiais feridos, de familiares enlutados, além de policiais de todas as patentes.

Nos outros dois dias teremos o I SIMPÓSIO Nacional, com palestras, discussões  e sugestões de medidas, normas, leis, regulamentos, equipamentos e soluções para reduzir e controlar tais problemas. 

As 27 policiais militares do Brasil se farão presentes e o assunto discutido amplamente.

Contamos com sua presença no evento e ajuda na divulgação.



Inscrições pelo site: https://simposiovitimizacaopol.com.br

Postar um comentário

0 Comentários