Moro chegou no Rio e se reuniu com Bolsonaro

A grande pergunta que todos os jornalistas neste momento estão fazendo é: 

O “superministério” deve incluir as funções atualmente exercidas pelas pastas da Segurança Pública e da Controladoria-Geral da União (CGU), além do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).O juiz Sérgio Moro teria viajado até o Rio de Janeiro se fosse para dizer que NÃO aceitaria o cargo oferecido por Bolsonaro?Pode até ser, mas todos consideram improvável.
À frente do Ministério da Justiça, ele terá gerência sobre Controladorias e Corregedorias, e principalmente terá um forte controle sobre a Polícia Federal. Desta forma, a pessoa que os brasileiros consideram como uma das mais bem intencionadas, terá também um poder ainda mais forte para continuar com a limpeza do Brasil.
Como juiz da 1ª instância Federal em Curitiba, ele tem controle apenas sobre os políticos envolvidos no Petrolão. No Ministério, ele deixa de ser do Poder Judiciário e passa a pertencer ao Poder Executivo, mas com a mão sobre todo o Brasil. Além disso, é possível que daqui a dois anos ele migre para o STF, voltando a ser do judiciário, porém muito mais forte, e moralizando a casa, que hoje é mal vista pelos brasileiros.
Além de tudo isso, Bolsonaro irá fundir ministérios. O Ministério da Justiça irá incluir o Ministério da Segurança Pública e da Controladoria-Geral da União (CGU), além do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
General Heleno, que será o Ministro da Defesa, disse que torce muito para que Moro aceite ser o Ministro da Justiça.
Durante o voo que Sergio Moro fez para o Rio de Janeiro, ele concedeu entrevista a jornalista da Globo News, e embora tenha repetido para ficar claro que ainda não aceitou e nem recusou o convite, ele disse que "O país precisa de uma agenda anticorrupção e anticrime organizado".
De fato, governo após governo, desde o fim do Regime Militar, ninguém combateu as facções criminosas como o Comando Vermelho, o PCC, e tantas outras que hoje existem. Para o povo, chega a se formar uma ideia de que as facções são de uma existência natural da sociedade. Para muitos brasileiros, no entanto, a eleição de Bolsonaro representa uma esperança de que finalmente isto chegue ao fim. A entrada de Moro no governo reforça este sentimento.
Enquanto eu escrevia este artigo, o juiz Sergio Moro terminou sua reunião com o presidente eleito, e saiu sem falar com a imprensa, e portanto ainda não se sabe qual será sua decisão.

Se Moro aceitar ser o Ministro da Justiça, o Brasil passará, da noite para o dia, da posição de um país com alto índice de corrupção, criminalidade e imoralidade, para um país que realmente quer ter uma sociedade melhor, em todos os aspectos.
Moro tem uma imagem internacional. Ele se tornou famoso pela seriedade e coragem no combate à corrupção. Ganhou notoriedade no mundo todo e até foi condecorado no exterior e aqui no Brasil também.  



Airton Alvares, 01/11/2018, São Paulo, SP.

Postar um comentário

0 Comentários